- [RMB NEWS] É ARTE, SIM! -


O tema não é recente e a polêmica que envolve o graffiti ainda é recorrente, tomando conta de diversos debates acerca do assunto. Mais do que uma expressão estético-urbana, o graffiti é também uma forma de ampliar as barreiras físicas e éticas da arte. Cidade e graffiti caminham juntos; não existe graffiti sem o contexto urbano e nem deveria haver cidade sem arte (é arte, sim!).

O graffiti, assim como o picho, não pode estar limitado a áreas restritas da cidade e, portanto, não há espaço melhor do que os próprios componentes urbanos (de pequenos muros a grandes viadutos) para botar pra fora temas, muitos deles sócio-políticos, tão latentes do nosso dia a dia. A pichação não deve ser encarada como sujeira, e sim como uma exteriorização de uma liberdade oprimida, principalmente por ter nascido em lugares onde o Estado se fez ausente.

O tema é polêmico e a aceitação do graffiti como forma de expressão artística ainda há de ganhar muito espaço na sociedade. Por que o graffiti ainda incomoda tanto? Seria por mera questão estética “esse é feio, merece ser apagado” ou por ser considerado um estado marginal da arte, por não ser oriundo de um grande museu, por exemplo? Felizmente, nos últimos anos, o cenário tem mudado e existem movimentos fortes de grafiteiros e defensores da causa, de maneira a propagar o trabalho desses artistas e a conscientizar pessoas sobre o verdadeiro significado que o graffiti carrega.

Logo no início desse ano, vimos o novo prefeito de São Paulo (logo em São Paulo!), João Dória, praticamente declarar uma guerra aos grafiteiros e pichadores da cidade, quando cobriu de cinza muitos dos murais que haviam sido pintados em anos anteriores, colocando em prática o seu projeto “Cidade Linda”. E novamente o tema veio à tona, principalmente por ter sido criticado por diversas fatias da sociedade, que encararam o ato do gestor como abusivo e unilateral. Não demorou muito e vários grafiteiros da cidade logo entraram em ação - e aguardamos por novas ansiosamente!

O assunto está na boca do povo já faz anos e foi na década de 70 que o pioneiro do graffiti no Brasil, Alex Vallauri, passou a deixar rastros de sua arte em diversos pontos da cidade de São Paulo. O próprio artista declarava que a sua intenção era enfeitar a cidade, transformar o cenário urbano com uma arte viva, popular, das quais as pessoas pudessem participar. Foi com Vallauri que a arte do graffiti no Brasil ganhou forma e tornou-se também icônica, em que cada artista passou a carregar um estilo facilmente reconhecível pelo público.

No dia 27 de setembro, é comemorado o Dia Nacional do Graffiti, marcando também o 26º aniversário de morte de Vallauri. E para lembrarmos desse dia, separamos aqui a obra de três artistas que expressam no graffiti formas bem distintas de suas artes.

1) Marcelo Lamarca

Quem mora ou já passou pelo Rio de Janeiro já deve ter se deparado com os graffiti do artista carioca pelos quatro cantos da cidade. É fácil reconhecer seus traços rígidos e a combinação precisa de cores fortes em seus trabalhos. Os pássaros são elementos recorrentes em suas pinturas, mas não é difícil ver Marcelo criar um novo olhar também sobre paisagens e outras imagens figurativas em seus murais.

Site e bio: www.marcelolamarca.com

2) Derlon

O artista pernambucano desenvolveu seu trabalho por meio de um novo olhar sobre xilogravura e arte urbana. Dessa forma, trouxe a cultura popular dos impressos do nordeste para a escala da cidade. O resultado é a mistura precisa de estilos, à princípio tão contrastantes, fazendo o uso de poucas cores e de linhas marcantes, retratando uma expressão artística tão peculiar da região do nordeste.

Site e bio: www.derlon.com.br

3) MadC

Os murais da alemã MadC podem ser vistos em diversas capitais do mundo. Seu trabalho, que não faz o uso literal da linguagem do graffiti, é marcado em painéis que parecem ter recebido grandes pinceladas, além de expor também o uso que a artista faz da sobreposição de cores em camadas transparentes.

Site e bio: www.madc.tv

Muita arte pra cidade!

Com propósito,

Rambleñas <3

#rmbnews #blogramblas #graffitti #textosramblas #arte #referências

LOJA FÍSICA

Nossa marca nasceu no Rio, mas nos mudamos para Brasília, onde abrimos nossa loja física. Brechó + Pocket Bar + Tabacaria. Estamos na CLN 411 Bloco C Loja 70.

HORÁRIOS

Seg à Sex: 11h às 20h

​Sáb: Fechado - estamos na rua produzindo!

QUERO RECEBER NOVIDADES RMB!
TENHO DÚVIDAS
  • @ramblasrio
  • facebook/rmbrio
  • ramblastv

© 2023 by Prickles & Co. Proudly created with Wix.com

0